COMPARTILHAR
ÁLVARO
ANDRADE GARCIA
 

Poeta, artista digital, escritor, roteirista e diretor de produções audiovisuais e multimídia.

Poet, digital artist, writer, director of audiovisual and multimedia productions. Biography in English.


alvaroeubirajaraBIOGRAFIA (atualizada em junho 2016)

Álvaro Andrade Garcia, nascido em 1961, em Belo Horizonte, é escritor e diretor de audiovisual e multimídia. Com doze livros de poesia e três de prosa publicados, escreveu para o segundo caderno do Estado de Minas e Correio Braziliense, caderno Ideias do Jornal do Brasil e caderno Engenho e Arte do jornal O Tempo. Em 2001, seu poema O Buda da Palavra participou da instalação Bunker Poético, de Harald Szeemann, na 49ª Bienal de Veneza. Tem poemas publicados na revista 34 letras, suplemento literário do Minas Gerais, participou da antologia Taquicardias, da Temporada de Poesia, Poesia Orbital e do jornal 10 faces. Exibiu videopoemas em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo na década de 1980. Participou mais de uma vez da Zip – Zona de Invenção Poesia &, exibindo trabalhos de poiesis digital. Exibiu videopoemas em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo na década de 1980. Desde a década de 1990 dirigiu inúmeros projetos multimídia, sites e portais na internet. A revista eletrônica Zapp Cultural, editada com a Secretaria de Cultura de Belo Horizonte, e o vídeo interativo Descobrindo o Brasil, com atores do grupo de teatro Galpão, receberam o Prix Mobius de Multimídia e representaram o Brasil em Paris, em 1997 e 2000. Em 2006, durante o 38 Festival de Inverno da UFMG, participou da obra coletiva Palavrador, exibida na ACM SIGGRAPH 2007 Art Gallery – Global Eyes e incorporada ao volume 2 do catálogo da Electronic Literature Organization. Destaca-se também sua instalação audiovisual interativa Sertão de Minas, exibida em Belo Horizonte, Brasília e Rio de Janeiro, entre 2005 e 2007, que inspirou depois outra obra audiovisual transmídia Sertão Vivo, exibida desde 2009 no Espaço Israel Pinheiro, em Brasília e exibida durante quatro anos no Espaço do Conhecimento UFMG, em Belo Horizonte. Sertão Vivo também se encontra disponível na internet e em app. Em 2012 lançou no Espaço do Conhecimento UFMG o app poético Grão e o software livre de publicação digital Managana, exibidos em junho de 2015 no festival E-Poetry, promovido pela Universidade de Buffalo – USA e Universidad Nacional de Tres de Febrero, no Centro Cultural Borges em Buenos Aires. Grão foi também exibido em Lima, no Peru, em maio de 2015. Participou da obra digital coletiva Liberdade, produzida em dezembro de 2013 no II Simpósio Internacional e VI Simpósio Nacional de Literatura e Informática, promovido pelo Núcleo de Pesquisas em Informática Literatura e Linguística da UFSC. A obra poética foi incorporada ao catálogo da Electronic Literaturature Organization vol 3 em 2015. Em agosto de 2014 fez o declame poético O Gesto da Palavra, no Memorial Minas Gerais Vale. Em 2015 participou do app Sarrià, de Alckmar Santos, trabalhando na interface e montagem do mesmo no software livre Managana. Em junho de 2016 lança Poemas de Brinquedo, publicação transmídia de poesia, disponível em app e também em livro impresso e formato e-pub. Álvaro hoje continua ‘escrevendo’ sua obra, seja qual for o meio, e trabalha na finalização de dois romances.


ACERVO

icon-eye Ensaios e crônicas

icon-eye Jornais de poesia

icon-eye Livros publicados

icon-eye Videopoemas

Os projetos on line mais recentes tais como os LivrEs, Sítio de Imaginação, Sertões e Cidades Históricas, se encontram ancorados em www.ciclope.com.br


 

DESTAQUES DA PRODUÇÃO AUTORAL

Livros de poesia:
Fogo, Librare, Improviso para teclado e flauta, Monódias, Viagem com o rio São Francisco, Visagens, Faculdade dos sensos, O verão dentro do peito, Álvaro, Messias de 1 homem só, Grão e Poemas de brinquedo.

Videopoesia:
Quarteto de sopros: 10 min., 1987. Trabalho pioneiro de animação de poemas em computador. País: 20 min., 1990. Experiência de fundir vídeo, texto e artes plásticas.
Pepsi Machine: 1 min e 30s, 1991. Experiência de animação tridimensional com textos e áudio.

Livros de prosa, ficção:
Ana, Operação Caiman

Livros de prosa, ensaio:
O Sertão e a Cidade.

Site de poesia com conteúdo multimídia:
Sítio da Imaginação – www.sitio.art.br

Portais e sites de conteúdo cultural multimídia:
www.cidadeshistoricas.art.br
www.sertoes.art.br

CD-Roms de conteúdo cultural:
Cidades Históricas Brasileiras
Vol. I Campos das Vertentes
Vol. II Ouro Preto e Congonhas
Vol. III Paraty Bananal Embu e Paranapiacaba
Cidades Históricas Brasileiras – Edição Especial

Videocrônicas (integrantes do projeto Cidades Históricas Brasileiras):
Cora: Goiás – Rio Vermelho; Cora: Goiás – Quintal Imaginável; Cora: Goiás – Alma na Casa; Ouro Preto: Guignard – Aurora Inspirada; Ouro Preto: Guignard – Crepúsculo Ilustrado; Chuva Barroca I – Tiradentes MG; Chuva Barroca II – Milho Verde MG; Aparecida – Milho Verde MG; Cozinha Mineira – Milho Verde MG; Vendas I – Lavras Novas MG; Vendas II – Milho Verde MG; Igreja – Lavras Novas MG; Cozinha – Lavras Novas MG; City Tour – Pirenópolis GO; Goiaz by night – Goiás GO; Rio de Contas – Rio de Contas BA; Despertar – Rio de Contas BA

Videocrônicas (integrantes do projeto Sertão Mineiro):
Serra do Espinhaço – Espinosa MG; Pontinha – Paraopeba MG; Vereda da Anta – João Pinheiro MG; Vereda da Mutuca – João Pinheiro MG; Vereda do Escuro – São Romão MG; Vaqueiro Zezinho – João Pinheiro MG; Nove Vezes – Buritizeiro MG; Vaqueiro Manoel- Brasilândia de Minas MG; Brejão by night – Brasilândia de Minas MG; São Francisco, sol e lua – Pirapora / Januária MG; São Francisco, nuvem e fumaça – Pirapora MG; Caminhos do Sertão I – Unaí / Brasilândia MG; Mercado – Montes Claros MG; Caminhos do Sertão II – Unaí / Brasília MG; Mar de Eucalipto no Sertão – Felixlândia/Bocaiúva MG; Navegação no São Francisco 1946/57; Central do Brasil 1943; Agronegócio no Sertão – Brasilândia de Minas MG; Pescador Solitário – Buritizeiro MG

Documentários média-metragem finalizados em DVD:
Ouro Preto: Ouro Preto (2003)
Sertão de Minas (2005)


DESTAQUES DA PRODUÇÃO PARA TERCEIROS

Portais e sites de conteúdo cultural multimídia:
Site do Museu de Arte da Pampulha (1996 a 2003)
Site Santuários Ecológicos para o jornal O Povo de Fortaleza
Site do Espaço Israel Pinheiro de Brasília

CD-Roms de conteúdo cultural:
Brasília 40 Anos – p/ jornal Correio Braziliense
BH 100 Anos – Nossa História – p/ jornal Estado de Minas
Museu de Arte da Pampulha – p/ Fundação Roberto Marinho e MAP
Revista Zapp Cultural – Vols. I e II – p/ Secretaria de Cultura de Belo Horizonte / Ministério da Cultura

Vídeos interativos de conteúdo cultural em CD-Rom:
Descobrindo o Brasil – Edição 2000 – p/ SINEPE MG
Um Dia em Jericoacoara – p/ O Povo CE
Um Dia em Canoa Quebrada p/ O Povo CE
Expedição ao Delta do Parnaíba p/ O Povo CE
Expedição aos Lençóis Maranhenses p/ O Povo CE

Cinema Digital Interativo em forma de app, instalação e para web:
Audiovisual Interativo Sertão Vivo – um espaçotempocaminhod’agua no cerrado 2009
Visit Minas Gerais – audiovisual interativo exibido na Expo Milão 2015

4 comentários sobre “Álvaro
Andrade Garcia

  1. Dizer mais o que sobre você!! Sempre à frente do seu tempo, inovando, buscando nos mostrar sua imensa sensibilidade. Que o sucesso nunca saia e perto de você!!! Bjos cheios de saudade…

  2. Que alegria te reencontrar – depois de 30 anos – no mundo digital e ver confirmado o que todos os seus amigos já sabiam: o seu talento como escritor, sua sensibilidade e criatividade dirigidas à diversas formas de arte, sua coragem de romper com o que seria mais convencional e conveniente. Um abraço. Mande notícias.

  3. Olá Alvaro, cheguei a teu site por estar buscando informações sobre o seminário Palavra Reinventada, que vai rolar em novembro…
    Curti a ideia da oficina e pelas tuas produções quis partilhar contigo um trabalho meu, que chama-se Labirintos Sazonais e é uma proposta de leitura interativa online que recebeu apoio do Pró-Cultura aqui do RS. Se tiver curiosidade, dá uma olhada: http://www.labirintos-sazonais.com

  4. Olá, Álvaro!Eu sou Daniela e estive no primeiro dia de seu curso em Montes Claros, há uns dias. Infelizmente, tive um chamado no trabalho e não pude retornar, mas gostaria muito de ter continuado. Estudo haikai e tive a impressão de que o managana me ajudaria a trabalhar os instantes com mais recursos.Espero ter outra oportunidade de conhecer melhor seu trabalho. Um forte abraço!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *